domingo, outubro 30, 2011

Devaneios


Odeio essa minha mania de exagero, de impulsividade...
Comigo é tudo demais...
Entrego-me demais,
Dôo-me demais,
Amo demais
Odeio demais...
Estresso-me por nada,
Nunca soube ser um meio termo,
É sempre exagero,
Sempre sobram emoções,
Sempre...
Sempre desperdiço sentires...
Não sei fingir coisas pela metade,
Eu me jogo, me atiro, sem medo, e tremendo de medo...
Mais não sei ser de outro jeito...
É sempre nos extremos...
E com isso sofro, porque é minha forma de ser completa...
Sou teimoso, só acredito quando quebro a cara,
Mesmo sabendo que esse será o fim,
Tenho que ir até o final,
Testar todas as possibilidades...
Se não der certo junto os caquinhos e sigo em frente...
Pra mais um muro talvez, ou talvez...
Dessa vez eu consiga dobrar uma esquina e seguir feliz...

Taty N.S.

2 comentários:

Luna Sanchez disse...

Viver não é indolor, flor, e isso independe do estilo que a gente adota.

Beijo, beijo.

Maggie May disse...

é melhor ser demais que ser quase...